Porque hoje é sábado, bom dia!

Porque hoje é sábado, escorreguei da cama mais tarde. Ganhei uma hora de sono. Quando levantei, meu companheiro de caminhadas, Zapata, já me olhava de soslaio ao pé da cama. Sim, estava atrasada e preguiçosa. Meio triste, um tanto desenxabida porque odeio a palavra deprimida. Minha mãe sempre diz que um banho cura tudo. Obedeci à memória maternal e para o chuveiro fui. Ajudou sim. Levantou o ânimo e limpou a craca da véspera, mais um dia difícil, mais um dia de resistência.

Com Zapa no comando, fui às ruas vazias, porque, afinal, hoje é sábado. Mas hoje não era um sábado qualquer, descobri há pouco. Hoje é sábado e também o dia do poeta. Hoje é dia de Vinicius, Bandeira, Drummond, Adélia, Ana, Cabral, Chico, Caetano, Gil, Hilda, Cartola, Noel e vou parar por aqui para não dar briga. Estou cheia de brigas.

Porque hoje é sábado, dia do poeta e porque estou desenxabida (como tenho andado atualmente e ultimamente) resolvi ser auto-indulgente. Aceitei minha obsolescência e fui à banca de revistas ver o que podia alegrar meus olhos e minha alma. Não vou comentar alguns horrores que vi, nem outros que comprei por curiosidade mórbida. Vou falar do que me fez bem. Me alegrou encontrar uma Vida Simples, de capa amarela, falando de reinvenção. A revista é, alegria geral, um exercício mensal de reinvenção e resistência. Antes de ser fechada pelos antigos donos do finado império editorial, foi comprada pelos jornalistas que a faziam. Gente bonita, elegante e sincera que acredita no bem que a marca faz aos leitores. Viva!! Desejo uma vida longa e feliz ao projeto, que sempre trouxe  ar fresco, calor e aconchego para almas com e sem relevo.

Quando já estava dando adeus ao jornaleiro, um homem heróico e resistente como a galera de Vida Simples, vi no cantinho da banca uma coleção de dvds da Folha. Grandes diretores no cinema, chama-se. Como hoje é sábado e eu estava com tempo, resolvi fuçar. Não é que eu encontro ali o clássico dos clássicos do neo-realismo italiano, Ladrões de Bicicleta? Quando eu era jovem – e isso faz muito tempo – assistir Ladrões de Bicicleta era uma das senhas para ganhar respeito e ouvidos no mundo dos adultos. Por isso, quando consegui ver o filme para poder entrar na conversa, senti uma felicidade imensa. Hoje à noite, vou rever a fita (sim, minha mãe até hoje chama filme de fita) sozinha em casa e depois conto quais memórias revistei.

Porque hoje é sábado e dia do poeta, a alegria entrou na minha casa por meio da página C6 do Caderno 2 do Estadão. Não gosto do Estadão. Prefiro a Folha, que assino no digital. Comprei o Estadão porque raramente o leio, mas hoje é sábado e pelo jeito meu dia de cura. O nó que estava amarrando a minha garganta, me fazendo tossir e ficar sem voz (sim, estou sendo literal) foi se soltando graças ao texto do Marcelo Rubens Paiva. Foi ele quem me lembrou que dia 20 de outubro é dia do poeta. Foi ele quem me disse que hoje é dia de poesia e samba. Foi ele quem me lembrou, por meio de seu texto lindo, que apesar de você amanhã será sempre um novo dia. E quando tudo ficar muito ruim e eu deveras desenxabida, posso abrir Manuel e com ele partir para Passárgada. Ou, se não for a hora de sair de fininho, posso recorrer  ao fone de ouvido para escutar o que Chico e sua galera têm a me dizer.

 

 

Corre vem ver o céu

Anúncios

6 comentários sobre “Porque hoje é sábado, bom dia!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s