O dia em que a Claro me dispensou como cliente – e não foi por falta de pagamento

claro1

“Sinto muito, senhora. Não há nada o que eu possa fazer. Para a senhora, não tem plano especial, nem promoção. É preço cheio mesmo.”

“Mas senhor, sou cliente há tantos anos. Já tive quatro assinaturas da NET. Todos os funcionários da minha empresa tem celular da Claro. Eu tenho, meu pai, meu filho. Se eu sair, vai sair todo mundo.”

“Sinto muito, senhora”.

“O senhor está sugerindo que eu mude para a Vivo?”

“Boa noite, senhora”.

A conversa acima não é ficção. Tem número de protocolo. Foi presenciada pelo vendedor da loja Claro, que de mãos atadas, sugeriu que eu ligasse para o 1052. Quando desliguei o celular, segurei a cabeça com as mãos, e com voz embargada, implorei: “Moço, me ajuda! O que eu faço agora? Imagina o trabalho de migrar 15 celulares?”. Ele, empático, respondeu sem temer pelo próprio emprego: “Liga para a Anatel. 1331. Eles vão lhe ajudar”. Agradeci e sai da loja da Claro, em Salvador. Era a segunda que eu visitava a empresa naquele dia à procura de ajuda. Meu celular havia sido desligado ontem e religado após súplicas do meu pai, um septuagenário com cara de vovozinho. Hoje acordei com mensagens apocalípticas pipocando a cada cinco minutos.

claro2

claro3

Confesso, senti pânico.

Como vender diárias, atender clientes e preparar o lançamento do meu novo projeto sem celular, 3 G, whatsapp, google e safari? Como viajar para Recife na terça-feira? Como dar assistência aos meus pais que estão a 2 mil quilômetros de distância? Como controlar meu filho na segunda quinzena de férias quando estaremos separados? Como pagar contas no banco, checar os depósitos e organizar a folha? Como acompanhar no FB o que os amigos estão fazendo, enquanto trabalho nas férias?

Com essas dúvidas randômicas perturbando meu juízo, pensei no óbvio.

Será que o atendente sabe qual é o custo que a companhia tem para conquistar um cliente?

No meu caso, o desprezo pelo meu problema significam 15 migrações. Será que ele já ouviu falar da taxa de churn? Será que ele conhece as metas de conversão e renovação do time de vendedores? Será que o descaso pelas minhas linhas é pessoal?

Claro que não. Regras são regras.

No dia em que decidi viver entre São Paulo e Bahia e, por isso, cancelar minha NET, meu telefone fixo e minha internet do Itaim Bibi, logo abrir mão do ComboNet, meu tornei infiel. Cai na vala dos párias. Não importa que já tive várias assinaturas no meu CPF. Também não importa que não trouxe a NET para a minha Capela porque em Arembepe não tem sinal da NET. Regras são regras. E todas as regras, sem a exceção, são burras, intolerantes e radicais.

Sai do Shopping com o modo dados celulares inativo. Pai de santo total. Posso bolar um reality show. Escrever um novo livro.

A vida sem celular.

A história de uma cliente fiel que foi rejeitada pela Claro e deu a volta por cima filando wifi dos amigos.

Em agosto, quando voltar à São Paulo, prometo contar qual foi o meu plano B e para onde migrei. Até lá, vou rever todas as minhas leis e regras de gestão. Talvez, sem prestar atenção, esteja sendo tão obtusa e burra quando eles estão sendo comigo.

Eles querem ser gigantes e estão matando um pequeno como eu, que multiplicado por milhares de outros pequenos, pode fazer a diferença no final do mês. Tchuco, tchuco kkkk para mim.

 

 

 

 

Anúncios

7 comentários sobre “O dia em que a Claro me dispensou como cliente – e não foi por falta de pagamento

  1. Claudia, e aqui vamos nos, outra vez, lutando contra moinhos de vento!
    Temos conta com a NET faz mais de dez anos. Nunca deixamos de pagar uma mensalidade. Faz aproximadamente dois anos que cada final de semana ou feriados o 21 não completa ligações DDI e várias dezenas de protocolos tem sido abertos com o SAC a Ouvidoria a ANATEL, o PROCON e até no Reclame Aqui…e nada! Descaso, desconhecimento, prepotência e uma enorme arrogância empresarial “in your face!”
    O Cliente não tem mais o poder nem a razão. Muito menos o Direito. Na época do efêmero o descartável e a alta rotatividade, pensar nos termos analíticos e com as ferramentas aos que você apela , parece no mínimo uma ingenuidade.
    Neste momento Agosto e o seu plano B são a única esperança que resta.
    Um abraço

    Curtir

  2. O descaso das operadoras é algo incrível. Estamos mal servidos. Infelizmente não só na área de Telecom, mas em todos aspectos. Somos desorganizados como consumidores e a lentidão da justiça, protege os empresários.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s