Já sei porque perdi o crachá

No telecatch do FB, ouvi essa frase hoje: “Já sei porque você perdeu o crachá”. O jaibe veio de um senhor que não concordava comigo. Não quis debater nem tentou ser polido. Mordeu aquilo que identificou como sendo o meu calcanhar de Aquiles para me ofender, ferir na alma, fazer sangrar e ganhar o cinturão do MMA. Na visão dele, aquilo que eu dizia não combinava com o cargo que eu tinha e portanto mereci ter ido à lona. Bem feito!!!

Na hora, fiquei sem palavras. Devo, sim, ter sentido o golpe.  Escrevi a verdade. Disse que estava sem palavras e lhe desejava boa sorte, com um abraço. Confesso que o abraço não era fraterno. Apenas mera formalidade antes de apertar o botão.

A tarde passou e agora, depois de postar e fazer alguns comentários no botequim do seu Mark Z, tive uma luz. Eu também sei porque perdi o crachá. Entre inúmeros motivos, para poder manifestar minha opinião – certa, errada, estúpida, lúcida, cretina, inocente ou sensata – sem travas, sem limites, sem medos, sem códigos de conduta. Enfim, posso sair do armário-cofre-aquário de vidro no qual me enfurnei, feliz e espontaneamente, por tantos anos.

É deveras libertador, preciso dizer. Gratidão ao espírito do tempo outra vez.

 

Anúncios

11 comentários sobre “Já sei porque perdi o crachá

  1. As pessoas andam, gratuitamente, agressivas… Com prazer de magoar, de ferir.
    Não conseguem lidar com opiniões diferentes das suas, sem perder a compostura. Tá difícil!!
    Gosto de seus textos, sempre muito sensatos! Aprendo com eles.

    Curtir

  2. Parabéns pela sua postura e a sua atitude de vida. Um crachá é só uma evidencia do efémero, ou um motivo para uma reflexão inteligente. Já o Marcel Proust falava: O que reúne e atrai as pessoas não é a semelhança ou identidade de opiniões, senão a identidade de espírito, a mesma espiritualidade ou maneira de ser e entender a vida.” Tenha certeza de que você tem a melhor companhia possível no seu cotidiano universal e particular. Um abraço

    Curtir

  3. Claudinha: minha Mãe dizia que o fígado de alguns tem azedume. Talvez seja o caso, talvez sejam os tempos azedos que estamos vivendo. Mas sei que vc sabe que a liberdade nos fortalece, portanto siga seus ventos! Bjo na alma!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s