Num estalo, descobri que havia chegado lá

Estou trabalhando na varanda, testando o sistema de gerenciamento remoto. O braço ainda parece que vai cair, mas já terminei dezembro. Agora só faltam janeiro e fevereiro até o carnaval. Estou chegando lá. Às 14 horas, fiz uma pausa, arranquei a roupa (estava com bíquini por baixo) e corri para o mar. Estava tépido, azulzinho e, como diz meu filho, parecia que tudo em volta (360 graus) era meu. Voltei, chuverada, roupa molhada, preparei uma caipira para mim e voltei para o escritório. Mais sistema, mais emails, mais telefones. Escritório é escritório em qualquer lugar do planeta.
Estou numa fase de aumentar a produtividade (a necessidade sempre faz o ladrão e a Pousada A Capela agora é o meu ganha-pão) e comecei a negociar pacotes de meio de semana com preços legais, almoço e café da noite inclusos. Sai do buraco e vim para a varanda montar o ppt. Enquanto fazia, olhei para meu barquinho de estimação (foto no post) tive um insight, um estalo que me deixou muito feliz.
Cheguei lá, ou melhor aqui, e realizei o sonho de uma vida. Sempre quis viver perto do mar. Sempre quis escrever tendo o mar como janela. Sempre quis viver com pouco, de um jeito simples e honesto, juntando algum para viajar de vez em quando. Neste instante, descobri que já tinha tudo (sem falar, claro, em filho, família, amigos, bichos, livros e filmes)! Que bastava desfrutar. Que bastava perceber. Que bastava ficar muito feliz. Simples assim.O mais incrível é que se não fosse a música que tocava, se não fosse o vento fresco e o casal de gaviões que passou piando (gavião pia?), talvez eu não tivesse notado algo tão fundamental, tão importante.
Farei 49 anos em breve e esta descoberta vespertina não significa que estou em fase gerúndio. Muito ao contrário. Tenho muitos desafios e contas a pagar. Significa que posso acalmar a alma e prestar atenção no gavião que passou outra vez. Que posso lembrar o ego, sempre que ele se meter a besta, que a vida é feita de escolhas. Que devo agradecer ao De(u)stino todas às vezes que eu lembrar do arrepio que senti ao ter este estalo. Que posso cantarolar Gilberto Gil convicta que “o melhor lugar do mundo é aqui e agora”. E o futuro, ah, a Deus pertence. E bora continuar no ctr, opt, del, porque até sexta preciso chegar em fevereiro. O Carnaval promete.

um estalo defronte ao mar: o melhor lugar do mundo é aqui, e agora, como disse Gilberto Gil
um estalo defronte ao mar: o melhor lugar do mundo é aqui, e agora, como disse Gilberto Gil
Anúncios

3 comentários sobre “Num estalo, descobri que havia chegado lá

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s