Abriu a porta e agora voa para onde?

Hoje o dia sem crachá foi estranho. Tive más notícias do advogado — o legalismo nunca funciona na minha vez — e perdi tempo (ainda não aprendi com meu amigo João e com o amigo dele, Louis Althusser, que o futuro dura muito e que posso economizar essa ridícula sensação de perda). Rodei em falso como uma galinha carijó até arrumar muito assunto braçal para voltar a sentir alegria.

Vendi algumas diárias, respondi um zilhão de emails, caminhei, administrei, diriji, fiz compras. Enfim, muitas profissões em uma mas estava sem foco e sem inspiração. O foco é o bálsamo dos sem-crachá que tem pouca experiência de preguiça como eu.

Só foi agora à noite, depois de uma conversa por mensagem em tempo real, que caiu minha ficha. Reproduzo abaixo parte do diálogo porque ele traz o insight, o ato falho. Aproveito e roubo do meu amigo sábias palavras:

Enviado às 21:19 de quarta-feira

eu:  estou aprendendo a viver sem crachá

tem dias ótimos

tem dias mais difíceis

sempre tive agenda

sou passarinho criado em gaiola

abre a porta e voa para onde?

Enviado às 21:25 de quarta-feira

 xxxxxx:  então, é difícil mesmo, inclusive toda a liberdade que nos aparece pela frente. Mas acho que vc está soltinha, passarinha, há muito pouco tempo.

É a hora de sonhar e pensar onde quer chegar. Definiu? Então passe a planejar o voo porque vc é boa nisso.

Sonhe > defina > trace o plano > voe

era o mesmo que vc fazia pros outros mas agora com sonhos seus.

eu:  eu sei meu amor, mas tem dia que a gente se sente como quem partiu ou morreu….

Foi essa música do Chico Buarque, o homem dos meus ouvidos, que cantarolei caminhando hoje pela nova Barra. Agora entendo o porquê. Quem foi passarinho criado em gaiola até sabe como é que se voa. Alto e baixo. Voei muito. Viajei muito. Criei muito. Fiz reportagens pelo mundo. Fiz negócios pelo Brasil. Expandi. Mas eu tinha um aramezinho no calcanhar (tipo Aquiles ou pombo correio), no qual levava uma mensagem que havia escrito mas que não pertencia. Cumprida a missão, eu voltava feliz para a minha gaiola aguardando o próximo desafio.

Agora, como diz João, é a hora de sonhar e pensar onde quero chegar. Sonhe, defina, trace a rota e o plano e voe. Voarei, querido, João e sonharei meus sonhos impossíveis dessa vez. Vou lembrar quando acordar!

Sonhe, defina, trace a rota e o plano e voe. Voarei, querido, João e sonharei meus sonhos impossíveis dessa vez.

Anúncios

Um comentário sobre “Abriu a porta e agora voa para onde?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s